Governador do Ceará diz que PT precisa se “reinventar”

O governador do Ceará, Camilo Santana, reeleito em outubro do ano passado, afirmou em entrevista à Agência Efe que a legenda precisa ressaltar suas conquistas e se “reinventar”.
– Sempre tenho dito que o PT precisa fazer autocrítica, reconhecer alguns pontos em que houve erros e buscar se reestruturar, se reinventar, mostrar as coisas boas que trouxe para o Brasil ao longo do tempo em que governou (o país, de 2003 a 2016) – opinou o político durante um evento realizado na Câmara Oficial Espanhola de Comércio no Brasil, em São Paulo.
Santana defendeu também o surgimento de “novas lideranças” dentro do partido.

Mesmo com a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e a eleição de Jair Bolsonaro como presidente, superando o petista Fernando Haddad no segundo turno, o governador cearense considera que o PT saiu “fortalecido” das eleições de 2018.
Na opinião de Camilo Santana, Haddad obteve um bom resultado, se for levado em conta que teve a candidatura lançada “com pouco tempo”. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) inabilitou Lula de concorrer em 1º de setembro, Haddad foi confirmado como candidato dez dias depois, e o primeiro turno foi realizado em 7 de outubro.
– Acredito que o PT foi o partido mais fortalecido na última eleição. Com um candidato que se apresentou pouco tempo antes, foi para o segundo turno e tirou 45% (44,87%) dos votos (válidos). O partido que fez a maior bancada federal do país, com quatro governadores. Um partido muito forte – analisou.
Apesar de fazer parte do maior partido da oposição, o governador do Ceará evitou criticar o governo Bolsonaro, que iniciou o quinto mês no poder.
– Ainda é cedo para a gente avaliar. Todo governo precisa de um crédito, um tempo para que possa dizer a que veio e se apresentar – declarou.
No entanto, Camilo disse que, durante a campanha de 2018, na qual Bolsonaro não participou de nenhum debate após ser esfaqueado a poucas semanas do pleito, “não houve muita discussão” de ideias ou “apresentação de propostas” por parte do então candidato do PSL.
– Torço para que o Brasil dê certo, porque é importante para os brasileiros e os estados, independentemente de quem seja o presidente. As eleições já passaram, vivemos num país democrático, e o presidente eleito foi o Bolsonaro. O momento agora é de todos trabalharem pelo Brasil e seus estados – enfatizou.
O petista garantiu que concordará com o que achar correto no atual governo, mesmo integrando a oposição, e que será “sempre franco” quando discordar.
Sobre o Ceará, o governador disse se tratar do estado “que mais faz investimentos públicos no Brasil em comparação com a receita corrente líquida”.
No âmbito da educação, o Ceará conta com as 82 das 100 melhores escolas públicas do país do 1º ao 5º ano, de acordo com a classificação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).
– Tivemos sorte com bons governos nas últimas décadas, além da compreensão dos governantes de priorizar o tema da educação. Para nós, essa deve ser a prioridade de qualquer país, porque nenhum estado cresce sem investir em educação – comentou.
De acordo com Camilo, “um dos pontos que mais tem impulsionado a educação cearense é que parte do ICMS, que é o imposto estadual que é repartido com os municípios, é de acordo com os indicadores de resultados”.
– O maior indicador do peso da distribuição é a educação, então, se um município atinge um resultado, ele recebe mais imposto – explicou.
*Com informações da Agência EFE
O governador do Ceará, Camilo Santana, reeleito em outubro do ano passado, afirmou em entrevista à Agência Efe que a legenda precisa ressaltar suas conquistas e se “reinventar”.

– Sempre tenho dito que o PT precisa fazer autocrítica, reconhecer alguns pontos em que houve erros e buscar se reestruturar, se reinventar, mostrar as coisas boas que trouxe para o Brasil ao longo do tempo em que governou (o país, de 2003 a 2016) – opinou o político durante um evento realizado na Câmara Oficial Espanhola de Comércio no Brasil, em São Paulo.

+ Temer e Moreira Franco podem retornar para a prisão
+ Jair Bolsonaro concede entrevista a Luciana Gimenez
+ Bolsonaro diz que Olavo pode criticar membros do governo
Santana defendeu também o surgimento de “novas lideranças” dentro do partido.

Mesmo com a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e a eleição de Jair Bolsonaro como presidente, superando o petista Fernando Haddad no segundo turno, o governador cearense considera que o PT saiu “fortalecido” das eleições de 2018.

Na opinião de Camilo Santana, Haddad obteve um bom resultado, se for levado em conta que teve a candidatura lançada “com pouco tempo”. O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) inabilitou Lula de concorrer em 1º de setembro, Haddad foi confirmado como candidato dez dias depois, e o primeiro turno foi realizado em 7 de outubro.

– Acredito que o PT foi o partido mais fortalecido na última eleição. Com um candidato que se apresentou pouco tempo antes, foi para o segundo turno e tirou 45% (44,87%) dos votos (válidos). O partido que fez a maior bancada federal do país, com quatro governadores. Um partido muito forte – analisou.

Apesar de fazer parte do maior partido da oposição, o governador do Ceará evitou criticar o governo Bolsonaro, que iniciou o quinto mês no poder.

– Ainda é cedo para a gente avaliar. Todo governo precisa de um crédito, um tempo para que possa dizer a que veio e se apresentar – declarou.

No entanto, Camilo disse que, durante a campanha de 2018, na qual Bolsonaro não participou de nenhum debate após ser esfaqueado a poucas semanas do pleito, “não houve muita discussão” de ideias ou “apresentação de propostas” por parte do então candidato do PSL.

– Torço para que o Brasil dê certo, porque é importante para os brasileiros e os estados, independentemente de quem seja o presidente. As eleições já passaram, vivemos num país democrático, e o presidente eleito foi o Bolsonaro. O momento agora é de todos trabalharem pelo Brasil e seus estados – enfatizou.

O petista garantiu que concordará com o que achar correto no atual governo, mesmo integrando a oposição, e que será “sempre franco” quando discordar.


Pleno.News - 08/05/2019 08h24   |   Foto: EFE/Fernando Bizerra Jr.
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 COMENTÁRIOS:

Postar um comentário