Alex da Piatã PSD 55 - Lider do Partido na ALBA

VIVENDO TECNOLOGIA...

www.galonegro.com

Wagner critica nota do PT contra Rui Costa: ‘Totalmente descabida’



O senador Jaques Wagner (PT) criticou a nota da executiva nacional do PT rebatendo a entrevista dada pelo governador Rui Costa (PT) à revista Veja.

Para Wagner, a reação da direção nacional da sigla é “totalmente descabida”.

“Eu nunca vi a executiva de um partido fazer uma nota daquele tamanho para atacar um governador que administra o maior estado governado pelo PT no Brasil. Modéstia à parte, nós demos mais votos para Dilma e mais votos para [Fernando] Haddad. A nota é muito ruim”, disse em entrevista à rádio Metrópole, nesta terça-feira (17).

"Querer colocar Rui em um papel de abandono a Lula é negócio de maluco", disse

“A imprensa joga a luz no que vai gerar polêmica. A entrevista dele é superequilibrada. Querer colocar Rui em um papel de abandono a Lula é negócio de maluco. A gente fez a campanha de Haddad trazendo Lula livre no peito. O maior trabalho que a gente faz é ter um estado bem administrado”, completou.

Wagner disse ainda que, até então, preferia não se pronunciar sobre a nota da executiva, mas o fez após conversar com Rui.

“Falei com Rui que a polêmica duraria 48h. Depois a roda ia girar. Falei com a equipe de comunicação dele também. Uma ou outra palavra foi mal interpretada. Acho que descabida foi a nota da executiva do PT”, salientou.

Por: Bahia.Ba  | Matheus Morais  |  Foto: Manu Dias/ GOVBA

O ponto fraco de Rui


O colunista Levi Vasconcelos, do jornal A Tarde, opina nesta quarta-feira (11) que o prefeito ACM Neto (DEM), com o Centro de Convenções municipal, ataca o Governo do Estado em seu ponto fraco: o descaso com a falta do Centro de Convenções na cidade.

“O centro do governo está deixando de ter sentido”, destacou Levi.

POR: Politica ao Vivo  |  Foto: Mateus Pereira / GovBa

Joseildo entra com representação no MPF para garantir contratação de unidades do MCMV Entidades e do PNHR


Após o fim do prazo de vigência das portarias 595 e 597, ambas de 2018, que garantiam o funcionamento do Minha Casa Minha Vida Entidades e do Programa Nacional de Habitação Rural, deputados federais e representantes de movimentos sociais se reuniram nesta terça-feira (10), em Brasília/DF, com o vice-Procurador Geral da República, Luciano Maia, para tratar sobre o assunto. Em uma ação coordenada pelo deputado federal Joseildo Ramos (PT/BA), os deputados Paulo Teixeira (PT/SP), José Ricardo (PT/AM), Alencar Braga (PT/SP), Marcelo Nilo (PSB/BA), Zé Carlos (PT/MA) e Talíria Petrone (PSOL/RJ) assinaram uma representação ao Ministério Público Federal para garantir que as 9 mil unidades habitacionais do MCMV e as 27 mil do PNHR já selecionadas sejam efetivamente contratadas para construção.

Autor do requerimento que havia pedido uma nova prorrogação do prazo por mais 180 dias, o deputado Joseildo Ramos (PT/BA) disse esperar que o Ministério Público faça justiça e atue para que as operações sejam contratadas. "Estivemos aqui com representações de diversas entidades buscando guarida jurídica na PGR. Precisamos encontrar um caminho para revogar este estado de coisas e para que o chão e o teto dessas pessoas não sejam jogados no lixo", afirmou o parlamentar.

Sob a tutela do Ministério do Desenvolvimento Regional, a modalidade “Entidades” do MCMV atende famílias, com renda mensal bruta de até R$ 1.800, organizadas por meio de cooperativas habitacionais, associações e demais entidades privadas sem fins lucrativos. De acordo com Evaniza Lopes, da União Nacional por Moradia Popular, as contratações canceladas pelo Governo Federal no último dia 30 de agosto são esperadas desde setembro do ano passado. "As famílias que foram selecionadas não sabem quando nem como irá continuar esse processo. Não vemos perspectiva de recursos porque o Governo escolheu não colocar orçamento nem para este ano, nem para 2020", alertou.   

Assessoria de Comunicação
Kamila Matos 

Bolsonaro terá de driblar lei para fugir de impeachment, afirma Alvaro Dias.


O governo Jair Bolsonaro (PSL) não tem tomado as medidas necessárias para sanear as contas públicas, e o presidente corre o risco de enfrentar um processo de impeachment por causa disso. A avaliação é do senador Alvaro Dias (Podemos-PR), 74, candidato derrotado à Presidência nas eleições do ano passado. O parlamentar diz que o país pode entrar em colapso em função dos problemas de caixa. Em sua opinião, a equipe de governo tentará "driblar a regra de ouro" neste ano ou no próximo, recorrendo a algum tipo de manobra, para evitar a abertura do processo de afastamento. 

Dias completa 50 anos na política em 2019. Ele exerce o quarto mandato como senador - o terceiro seguido -- e é líder de uma bancada de oito integrantes.

Com quase 860 mil votos, senador Álvaro Dias terminou a eleição presidencial em nono lugar

O Podemos é aliado do PSL no Senado, mas, segundo o parlamentar, a aliança foi proposta pela legenda do presidente visando somente a disputa por cargos na Casa. O Podemos, diz ele, mantém posição de independência em relação ao governo.

Por: Wellington Ramalhoso  |  UOL, em São Paulo  |    Imagem: UOL/Folhapress

Governo Bolsonaro publica medida para pensão vitalícia à crianças com microcefalia causada por zika


O Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira, dia 5, traz a Medida Provisória 894, que institui pensão especial destinada a crianças com microcefalia decorrente do zika vírus, nascidas entre 1º de janeiro de 2015 e 31 de dezembro de 2018, beneficiárias do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A MP foi assinada na quarta-feira, 4, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto. O valor da pensão vitalícia é de um salário mínimo. Segundo o governo, há 3.112 crianças com microcefalia, nascidas nesse período, que recebem o BPC. Famílias elegíveis, que optarem pela pensão especial, não poderão acumular os dois benefícios e deixarão de receber o BPC em caso de concessão da pensão, cujo valor também é de um salário mínimo.


A diferença é que o BPC está vinculado a uma faixa de um quarto do salário mínimo per capita de renda mensal da família. Acima disso, não é possível requerer o BPC. Dessa forma, algumas mães que conseguem emprego acabam perdendo o benefício. A pensão especial é intransferível e não gerará direito a abono ou a pensão por morte.

in saude |  Foto: Divulgação




Alba aprova projeto Fila Zero para pacientes com câncer no SUS


Proposta é de autoria do deputado Alex da Piatã; segundo ele, "cerca de 50 mil pessoas morrem na fila de espera todos os anos"

A Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) aprovou nesta quarta-feira (4) o Projeto de Lei 21.074/2015, que visa acabar com filas para pacientes que tratam o câncer pelo SUS (Sistema Único de Saúde).

Segundo o autor da proposta, deputado Alex da Piatã (PSD), a matéria “propicia um mínimo de dignidade, eliminando as filas para realização de exames de Radioterapia, Quimioterapia e Ressonância Magnética, no atendimento aos pacientes dos hospitais públicos estaduais e dos conveniados com o Sistema Único de Saúde – SUS, no prazo máximo de setenta e duas horas”.

O parlamentar acrescentou ainda que “cerca de 50  mil pessoas morrem na fila de espera todos os anos”.

Por: BA.BA  |  Foto: Gabriel Jabur/ Agência Brasília/Fotos Públicas
Postagens mais antigas → Página inicial